Capa  |  Biografia  |  Livros  |  Crítica Literária  |  História da Academia |  Textos  |  Fotos  |  Links  |  Contato

Livros

História da Academia Rio-grandense de Letras e Parthenon Litterario

José Carlos Rolhano Laitano nos brinda com a História da Academia Rio-Grandense de Letras (1901 – 2016) e Parthenon Litterario (1868-1885), fruto de excelente pesquisa tanto na documentação da Academia quanto na bibliografia de apoio, bem como no estabelecimento da contextualização histórica dos eventos literários. 

Mais informações



Yossef, o judeu errado

Yossef, o judeu errado, de José Carlos Laitano, vale como narrativa, como ficção com personagens, situações, conflitos, paisagem. 

Mais informações



Criação Literária - da ideia ao texto

Criação Literária – da ideia ao texto é uma obra essencial para todos os que escrevem e para quem inicia o caminho da escritura. Além de ferramenta de apoio para professores, é um belo complemento para quem participa de oficina literária.

Mais informações

   


Bianca di Morano

Romance
Editora Movimento, 1999


Bianca di Morano é história de emigrantes, mas também um romance sobre a luta pela sobrevivência. É, na verdade, uma grande viagem: de povos, de amor, de pessoas, de ideias. Com base em personagens sólidos, o Autor constrói um amplo painel da Itália - mais precisamente do pequeno paeseMorano Calabro, no sul do país - no final do século 19 e início do 20: a Unificação italiana, com o final dos reinados, a descida dos piemonteses até o Governo de Roma, a Primeira Guerra Mundial, o surgimento do fascismo e a consagração de Benito Mussolini e, em meio a esses acontecimentos, o grande êxodo, as sucessivas ondas emigratórias que exportaram pobres principalmente para a América, garantindo espaço e trabalho para os que permaneceram.  Nesse turbilhão, surgem Bianca, Vicenzo e Rosalbino, numa diferente história de amor e, ao redor deles, figuras marcantes. Costumes, paixões, vitórias, derrotas, tragédias, esperanças: os componentes da existência humana aparecem relatados com maestria pelo Autor, que avança em sua carreira literária, consolidando seu domínio artesanal e os processos da narrativa. 

Em Bianca di Morano, o Autor dá corpo às relações existentes entre duas terras, duas culturas, duas igualdades: Morano Calabro e a América; Morano Calabro e Porto Alegre, relação que se configura, hoje, num fenômeno imigratório único no mundo.

É o próprio Autor quem afirma: ' Esta é uma história de emigrantes, mas não posso afirmar que seja verdadeira. E o que isso importa? A disparidade entre o real e o imaginário é exercício inútil e, se você quiser resgatar o vivido, não logrará sucesso'.

 

 

A Cor Verde do Arco-íris

 
Romance, prosseguimento de Bianca di Morano.
Ed. Movimento e EST Edições, 2005.
 
A história de um homem que saiu com sua família do norte da Itália e viajou para Porto Alegre, para fugir da pobreza, logo após o término da Segunda Grande Guerra. Em sua bagagem, a miséria, a esperança e as ideias de Mussolini.
Em Bianca di Morano, um italiano do sul tomou o rumo do Brasil.  Em Villanova d'Italia, zona de morros e matas nas cercanias de Porto Alegre, os dois imigrantes encontram-se: duas realidades diferentes, com propósitos diversos, mesclam-se e dessa vivência surge a segunda geração dos imigrantes, a que finca raízes. Como diz Giuseppe, narrador da história, tudo começou com a fome e dois homens que atravessaram o oceano.


Jogo do Passa-conto (edição esgotada)

 
O sequestro dos uruguaios Lilian Celiberti e Universindo Diaz, durante a ditadura militar, é o tema eleito por Roberta para seu primeiro romance. Durante a pesquisa e primeiros rascunhos, ela descobre uma sociedade que desconhecia até então, onde os valores e procedimentos de sobrevivência não combinam com a rotina de viagens, museus e encontros sociais a que estava acostumada. A partir de um encontro fortuito - desses de rua - com uma louca, Roberta vê-se abraçada com um assunto forte demais para si e, entre um temor e uma descoberta, percebe a função social do escritor, a face oculta do poder, a fragilidade da vida, da sua própria vida. E a grande verdade: ninguém escreve impunemente. Cria um personagem - F. Tass -  e através dele tenta libertar-se das amarras de suas próprias circunstâncias de mulher bem vivida. Consegue? Estará preparada para desvendar o jogo armado entre a polícia, o governo e a imprensa?



Essa Coisa Chamada Justiça (edição esgotada)

 
(Chico Mendes - o mito, a mata, a morte, o processo).
Entrevistas e ensaios.
Editora Vozes. 2002
Prefácio de Leonardo Boff.
 
Por que o processo de Chico Mendes começou e findou em dois anos e seus companheiros, mortos logo antes, não lograram o mesmo êxito? Entrevistas exclusivas com os assassinos de Chico Mendes, com o suposto mandante, com o suposto facilitador do crime, e as pessoas que estiveram no palco dos acontecimentos. A invasão da Amazônia pelos fazendeiros, os empates pelos seringueiros. O mito Chico Mendes.
Como diz Leonardo Boff: 'O Autor entrevista os seus distintos atores, pró e contra, conduz com sentido de justeza e lógica irrefutável em cada um dos diálogos'.



Crônica da Paixão Inútil

 
Segundo texto solo e primeiro romance publicado pelo Autor.
Editora Movimento, 1992.
 
Este é um texto que ninguém lê impunemente. Na trajetória de vida de Francisco e Gabriela, o leitor identifica-se com seus personagens, em algumas situações; participa vivamente do prazer e da dor, do pranto e da alegria; da luta, consciente ou não, da transcendência individual em meio ao casamento, em meio à política, em meio à crise de valores que o mundo - o Brasil em particular - atravessa desde os anos sessenta.
(da apresentação de Mariano Soares).



Capitão Uiacha e outros super-herois (edição esgotada)

 
Conto infanto-juvenil, escrito em parceria com o neto Carlo José G. Laitano, quando o menino contava com sete anos. Ilustrações e capa de Carlo José aos treze anos.
Edição do Autor, 2011.



Minha Mulher Chamava-se Jarbas (edição esgotada)

 
Coletânea de contos.
Editora Movimento, 1989.
Apresentação de Luiz Antonio de Assis Brasil.
 
Neste livro de estreia, o Autor mostra uma profunda compreensão pelas pequenas misérias do homem e em especial pela nem sempre bem entendida juventude. Seus contos trazem à tona os avessos da classe média, suas frustrações e esperanças, realizando um corte vertical na planície do nosso dia-a-dia.
O Editor.



Criação do Texto Jurídico (edição esgotada)

 
Ensaio sobre a técnica de criação de textos, adaptado para o mundo jurídico. 
Editora AGE, 2007. Esgotado.
Apresentação: Min. Ruy Rosado de Aguiar Jr.
 
Nada mais difícil, nada mais humano do que a constante e eterna tentativa para a transmissão fiel da nossa ideia para a cabeça do outro. Os desencontros que resultam dessa viagem invisível permite o embate das paixões e toda a teia de relações que sustentam a literatura e os feitos judiciais. 
Na apresentação, o Ministro Ruy Rosado de Aguiar Jr. chama a atenção para o fato de este livro acentuar 'a importância de ser o texto jurídico compreensível, conciso, escorreito e limpo'.



Cuentos de Ley (edição esgotada)

 
Coletânea de contos que unem os temas Direito e Literatura.
Publicação em português e espanhol.
Projeto É Literatura e É Direito.
Org.: Prof. Ruben Daniel Castiglioni.
Ed. Instituto de Letras UFRGS, 2013.
Participação: Mandrake.



Contos Legais (edição esgotada)

 
Coletânea de contos que unem os temas Direito e Literatura.
Editora Letra e Vida, 2010.
Org.: Autor e professores Rubem Daniel Castiglioni e Antônio M. Sanseverino, da UFRGS.
Projeto É Literatura e É Direito, Ajuris e Instituto de Letras, UFRGS.
Participação: Mandrake.



 

 

Revista (edição esgotada)

Academia Rio-grandense de Letras
 
Coletânea de artigos: contos, crônicas, ensaios e discursos.
Ed. Exclamação, 2013.
Participação: Discurso de Posse na Academia.

 

Nós, Calabreses (edição esgotada)

 
Coletânea de ensaios sobre a condição do italiano no exterior.
Org.: Airton Luiz Jungbluth
EST Edições, 2006.
Participação:
A Terceira Geração.

Contos de Abandono (edição esgotada)

 
Coletânea de contos.
Editora Libretos, 2009.
Organização e participação:
O Juiz Só
Na Cadeira de Lona

Contos do Desejo (edição esgotada)

 
Coletânea de contos.
Editora AMB, 2012.
Organização e participação:
Abuso Sexual
Infoway
Sutiã


 

Poemas de Amor e Ódio (edição esgotada)

 
Coletânea de poemas.
Editora AMB, 2012.
Org.: Édison Pereira Filho
Participação: 
Seriedade
Amoroso
44 (de casamento)

 


 

Inquietude (edição esgotada)

 
Coletânea de contos.
Editora AGE, 2007
Organização e participação:
Lilica.

 


 

Porto Alegre: curvas e prazeres (edição esgotada)

 
Coletânea de contos eróticos.
WS Editor, 2002.
Organização: Volnyr Santos
Participação: Maria Rita, conto.


 

 

Tudo Na Mais Perfeita Ordem (edição esgotada)

 
Coletânea de contos. Organização.
Editora Kelps, Goiânia, 2013.

 

Prêmio Nosside (edição esgotada)

 
Coletânea com os poemas selecionados no XXVII Premio Mondiale di Poesia, Edigioni Città Del Sole, Reggio Calabria, Italia, 2011.
Participação: 
44 (de casamento), poema.

Contos de Oficina 3 (edição esgotada)

 
Coletânea de contos. Org. Luiz Antonio de Assis Brasil.
Editora Acadêmica
Participação: 
O Peso da Consciência 
Orlanda.
Contos, 1989



 

 

Revista Cultura Vozes

 
Publicação da Editora Vozes.
Participação com ensaio Quem Diz Sim, Pode Dizer Não,
Vol. 96, 2002.

 


 

Comunità Italiana

 
Publicação da Editora Comunità com circulação no Brasil e Itália. Dezembro 2010.
Crônica A Terceira Geração.

 

Cadernos de Literatura Ajuris

Revista literária criada no projeto É Literatura e É Direito, parceria Ajuris e Instituto de Letras da UFGRS. Coordenação do Autor e dos professores Ruben Daniel Castiglioni e Márcia Ivana de Lima e Silva.
Contos publicados em diversos números.

site elaborado pela metamorfose agência digital - sites para escritores